O encontro aconteceu hoje, 12 de agosto, e tem como objetivo principal partilhar informações com os jovens e recolher subsídios e soluções para promover a participação juvenil e o processo de desenvolvimento da nossa Boa Vista.

Ciente da importância do envolvimento dos jovens na definição de políticas públicas locais, o presidente da Câmara Municipal, Cláudio Mendonça, defendeu que a conversa aberta irá servir de auxílio na tomada de decisões sobre em “n” assuntos de interesse coletivo, ajudando na definição de estratégias mais assertivas na alavancagem do potencial económico da ilha. 

Aliás, é com essa visão que a Câmara Municipal entendeu promover JOVEM IDEIA, JOVEM SOLUÇÃO!, enquanto foco e propósito de um modelo que governação, cuja centralidade é a camada juvenil.

Sendo espaço de partilha e de diálogo, o encontro priorizou um modelo de trabalho bastante interativo, com perguntas e esclarecimentos, sugestões durante toda a sessão. 

Neste quadro, o presidente partilhou com os jovens o outro lado da ilha, por meio de um vídeo a retratar parte da nossa realidade, aquela que normalmente não muito divulgada, mas que não deixa de ser a nossa vivência coletiva, requerendo a nossa atenção e tomada de posição, pois Boa Vista não é só praia, turismo e morabeza.

Era visível a preocupação e ou mesmo sentimento de espanto por parte de alguns assistentes, pois o vídeo testemunha o lado negro da ilha, a má educação, o deficiente saneamento do meio e da saúde, necessidades básicas que condicionam o bem-estar social e dificultam a vida dos jovens, esta camada que é a força motriz das sociedades humanas. 

No fim, Claudio Mendonça lançou o seguinte apelo: “temos, portanto, de pensar, repensar como solucionar e ultrapassar esses desafios, com a participação, franqueza, união, ideias e solução de todos os jovens.”

O apelo do presidente serviu de mote durante o encontro, pois estes participaram ativamente com ideias, críticas e sugestões. Destaca-se aqui a intervenção de Tomilson Neves, jovem da zona do Rabil, que foi um momento de muita reflexão, pedagogia, e vontade fazer parte do desenvolvimento, quando disse que “é nosso dever fazer desta ilha um lugar melhor para todos”. 

Com o ponta pé dado por esse jovem, seguiram-se várias intervenções, com grande alcance, focando diretamente setores como saúde, educação, segurança pública, cultura, desporto, economia, lazer, entre outros.

Nessa sequência, os jovens apelaram pela descentralização, pela inclusão social, habitações sociais e ou lares, luta contra alcoolismo, drogas e prostituição, conservação e manutenção das infraestruturas públicas (polivalentes, parque infantil, fitness park), reformatação do horário de recolha de lixo, construção de estradas para zona norte, abastecimento de água, iluminação pública, calcetamento de zonas habitadas em toda ilha, construção de cinema municipal para fomentar a cultura audiovisual que consideram ser forte na ilha, escola de música, reequipamento e reenquadramento dos centros juventude (sala de informática), colocação de ATM (vinti4) nos povoados , serviços de saúde nos povoados, entre várias sugestões e propostas. 

O Presidente respondeu às questões, preocupações, de forma passiva, mostrando-se satisfeito com as sugestões e propostas avançadas pelos jovens.