O Centro de Artes e Cultura foi palco, esta segunda-feira (27), da apresentação da obra “A última e incrível viagem de Pentalina”, do autor José Escolástico Ramos. O evento foi promovido pela Câmara Municipal, no âmbito das festas do Município e de Santa Isabel.
A obra retrata o naufrágio do navio Pentalina, com 87 passageiros a bordo, (incluindo o próprio autor da obra), na baía de “Moia Moia”, concelho de São Domingos, ilha de Santiago, em 2014.
A produção desta obra ilustra o cenário da tragédia, o drama vivido pelos passageiros, bem como, homenageia todos quantos foram vítimas do naufrágio, especialmente os entes queridos dos náufragos que pereceram nos mares de Cabo Verde.
José Escolástico Ramos contou que na hora do desespero só lembrou de ligar para o seu amigo Djoy em Boa Vista e dizer que está morto (risos).
Passados anos, foi motivado pelo amigo Afonso José Zego, a narrar aquilo que foi a última e incrível viagem de Pentalina, que tinha deixado Boa Vista, rumo à ilha de Santiago.
José Escolástico Ramos Gomes nasceu a 10 de fevereiro de 1952 na ilha de São Nicolau. Fez os seus estudos liceais em São Vicente, onde residiu até 1970, ano em que regressou à sua ilha natal para exercer funções de professor primário, até 1975.
Emigrou-se como marítimo para a Europa, em meados de 1975, tendo regressado a São Nicolau em 1979, para retomar a sua anterior função de professor.
Em finais de 1980, ingressou no Banco de Cabo Verde, na sua terra natal, tendo sido transferido, em 1982, para a Agência de São Vicente e, de seguida, para Boa Vista até 2001, ano da sua aposentação.
De 2001 a 2006, foi diretor da empresa imobiliária italiana, CABOPADANA, sediada na Boa Vista.
Publicou a sua primeira obra poética, ‘Lágrimas da Minha Alma’, em Março de 2018.