Quase mil contos investidos na escavação e limpeza dos poços agrícolas

Agricultura Pescas E Pecuária

Quase mil contos investidos na escavação e limpeza dos poços agrícolas

A edilidade da Boa Vista já disponibilizou novecentos e doze mil e quatrocentos e cinquenta escudos para a execução dos trabalhos de escavação e limpeza de 37 poços agrícolas na zona Norte da ilha.

A Ilha da Boa Vista vive um período marcado pelo mau ano agrícola, em virtude das precipitações pluviométricas de 2014 serem consideradas praticamente nulas, salvo alguns chuviscos registados algures mas que não se traduziram nem na germinação de pastos e nem na recarga dos lençóis freáticos.

O mau ano agrícola constituiu, desde cedo, motivo de preocupação da Câmara Municipal, tendo a Edilidade boavistense reunido, no início do ano em curso, com os agricultores e criadores de gado do Concelho no sentido de auscultar as suas preocupações e, juntos, definirem um plano de actuação no sentido de minimizar-se os impactos negativos resultantes da má época pluviosa registada.

Em virtude da considerável baixa dos caudais dos poços agrícolas existentes na Zona Norte da Ilha, e o agravamento da situação dos camponeses e respectivas famílias devido à diminuição da produção agrícola, a Câmara Municipal da Boa Vista celebrou um contrato de prestação de serviços com uma empresa de construção civil sedeada no Município para se proceder, de imediato, à escavação e limpeza de 37 (trinta e sete) poços agrícolas, no sentido de mobilizar-se água para a agricultura e ajudar os agricultores e suas famílias a relançar a sua actividade, cujos impactos sociais e económicos são relevantes na região dada a geração de empregos directos e indirectos que propicia.

Os trabalhos de escavação e limpeza de poços, orçado em 912.450$00 (novecentos e doze mil, quatrocentos e cinquenta escudos), estão a cargo da empresa Boa Vista Betões, Lda e beneficiam directamente a população da Zona Norte da Ilha, considerado o “pulmão” agrícola do Concelho.

Recorde-se que na sequência do mau ano agrícola a Edilidade boavistense elaborou e endereçou, em Outubro de 2014, o Programa de Emergência ao Governo Central que aguarda pelo seu financiamento.